Como os dados corretos podem ajudar os edifícios a reduzir as suas emissões

As emissões libertadas por um edifício estão fortemente relacionadas com o consumo de energia, mas existem outros factores que também têm impacto. Para reduzir emissões efetivamente, o primeiro passo é saber como estão sendo liberados. Por exemplo, um edifício que utiliza 100.000 kWh de uma central eléctrica a carvão tem um impacto muito maior do que um edifício que utiliza 100.000 kWh de fontes limpas.

Quando os proprietários de edifícios sabem como as emissões são produzidas, também podem tomar melhores decisões para reduzi-las. Desta forma, podem maximizar os gases com efeito de estufa evitados por cada dólar gasto. Por outro lado, quando as medidas de poupança de energia são escolhidas sem dados, podem não ter os resultados esperados.

Reduza as contas de energia e as emissões do seu edifício com um projeto MEP profissional

Em geral, as atualizações energéticas reduzirão os custos operacionais e as emissões. No entanto, pode haver casos em que apenas um efeito é alcançado. Por exemplo, Iluminação LED reduz os custos de energia, mas as emissões permanecerão as mesmas se a eletricidade já vier de fontes limpas. Também poderá haver casos em que um edifício mude para uma fonte de energia mais limpa, mas os custos operacionais permaneçam os mesmos – apenas as emissões são reduzidas.

Gerando Dados Energéticos com Benchmarking

benchmarking-2

O benchmarking é um método muito eficaz para obter dados de consumo de energia dos edifícios. A seguir estão algumas das principais perguntas que podem ser respondidas:

  • Quanta energia meu prédio usa a cada ano?
  • Como é dividido o meu consumo? Quais fontes de energia estou usando?
  • Como é que o meu consumo de energia se compara ao de outros edifícios?

Graças ao benchmarking, a cidade de Nova Iorque gerou o maior conjunto de dados sobre o consumo de energia em edifícios nos EUA. Isto foi conseguido com a Lei Local 84 de 2009, que torna o benchmarking obrigatório para edifícios com mais de 25.000 pés quadrados. Originalmente, a lei abrangia apenas edifícios com mais de 50.000 pés quadrados, mas foi alterada em 2016.

Dados de benchmarking são usados ​​para calcular Pontuações ENERGY STAR, que indicam o desempenho de um edifício numa escala de 1 a 100, em comparação com outros do seu tipo. Uma pontuação de 50 significa que seu edifício supera 50% de propriedades semelhantes, enquanto uma pontuação acima de 90 significa que o edifício está entre os 10% melhores.

Na cidade de Nova York, as pontuações ENERGY STAR são usadas para calcular classes de energia de construção de A a F de acordo com a Lei Local 33. Além disso, o processo de benchmarking exigido pelo LL84 utiliza a ferramenta Portfolio Manager da ENERGY STAR.

Usando modelagem energética para reduzir emissões e custos de energia

modelagem energética

Modelagem energética pode fornecer uma imagem ainda mais precisa de como a energia é usada no seu edifício. Você também pode usar a modelagem para prever o desempenho energético de um edifício que ainda não foi construído. Em ambos os casos, obtém-se uma imagem clara de como o seu investimento é convertido em poupanças de energia e reduções de GEE.

Os benefícios das atualizações energéticas são muitas vezes calculados isoladamente, sem considerar a forma como os diferentes sistemas construtivos interagem. No entanto, quando a modelagem energética é utilizada, todo o seu edifício é analisado como um sistema interconectado. Por exemplo, considere uma atualização de iluminação LED:

  • Ao comparar o consumo de kWh das novas luminárias e da instalação anterior, você pode estimar economias diretas.
  • No entanto, a iluminação LED também tem um pequeno impacto sobre AVAC desempenho. A carga do ar condicionado é reduzida porque o sistema de iluminação emite menos calor, o que também significa que a carga de aquecimento aumenta ligeiramente durante o inverno.

Este é apenas um exemplo simples, mas muitas interações como essa acontecem durante uma atualização de edifício. Quando os benefícios das medidas de eficiência energética são calculados separadamente, as poupanças estimadas podem diferir significativamente do resultado real. A modelagem energética pode ajudá-lo a identificar as medidas que maximizarão as economias e as emissões evitadas.

No caso da cidade de Nova Iorque, os cortes nas emissões também se traduzirão em penalidades evitadas a partir de 2024. A Lei Local 97 de 2019 introduziu limites de emissão para edifícios acima de 25.000 sf, e a multa é de US$ 268 por tonelada métrica de CO2 equivalente acima do limite. A modelagem energética também pode ser usada para calcular com maior precisão as penalidades evitadas.

Conclusão

Quando um edifício está a ser modernizado para poupar energia e reduzir emissões, os dados de consumo são muito úteis. Conhecer o consumo total de energia e as emissões é útil como ponto de partida, mas é necessária uma análise detalhada para tomar as melhores decisões de investimento.

O benchmarking pode ser usado para acompanhar o consumo de energia por fonte e também para comparar edifícios semelhantes. A modelagem energética é muito útil quando você precisa de uma análise precisa para um edifício específico – mesmo quando ela existe apenas como documentos de projeto!

Conteúdo Relacionado

Voltar para o blog

Deixe um comentário

Os comentários precisam ser aprovados antes da publicação.