Acessórios elétricos para conduítes metálicos: tipos e suas aplicações

A fiação elétrica depende do conduíte para proteção, enquanto puxar caixas e caixas de junção simplificam o manuseio do circuito. No entanto, estes elementos devem estar firmemente fixados entre si para que haja uma instalação elétrica segura. Além disso, também devem ser dotados de suporte estrutural. Essas funções são realizadas por conexões elétricas, e existem vários tipos no mercado.

Este artigo fornecerá uma visão geral dos tipos mais comuns de acessórios elétricos, juntamente com suas aplicações e algumas orientações gerais para o uso correto. Lembre-se de que as conexões são diferentes para conduítes metálicos e não metálicos – este artigo se concentrará naqueles projetados para conduíte metálico. Observe que algumas conexões elétricas podem estar disponíveis em diferentes versões, e cada uma traz vantagens e desvantagens, como em qualquer decisão de engenharia.

Nossos engenheiros elétricos experientes podem ajudá-lo a atender aos códigos NEC e locais.

Usar acessórios incorretamente não é apenas perigoso, mas vai contra os códigos de construção e pode levar a solicitações de modificação e ações legais do Departamento de Edifícios de Nova York. Ao trabalhar com engenheiros de projetos elétricos qualificados, você pode garantir que todos os materiais e equipamentos elétricos sejam especificados corretamente.

A gama de acessórios elétricos disponíveis comercialmente vai muito além dos descritos neste artigo. Vamos nos concentrar nos mais comuns, mas esta não é uma lista exaustiva.

Acoplamentos: Unindo Conduíte com Conduíte

Os acoplamentos são usados ​​quando você precisa conectar segmentos separados de conduíte metálico no mesmo circuito. Existem três mecanismos principais pelos quais os acoplamentos desempenham sua função:

  • Acoplamentos roscados simplesmente possuem threads internos, como está implícito em seu nome, e são usados ​​para unir conduítes rosqueados com facilidade (por exemplo, RMC rosqueado). Normalmente, este tipo de acoplamento é uma peça única.
  • Acoplamentos de parafuso de fixação conseguir uma união com parafusos ajustáveis, para travar o conduíte no lugar depois de inserido. Embora o corpo principal de um acoplamento de parafuso de fixação seja uma peça única, os parafusos normalmente são removíveis.
  • Acoplamentos de compressão normalmente são acessórios de três peças. O acoplamento possui roscas externas e contraporcas, para inserir o conduíte e fixá-lo por compressão. Observe que as roscas são usadas pelas contraporcas, não pelo conduíte.

Como os acoplamentos de parafuso de fixação e de compressão são destinados a conduítes não roscados, os engenheiros de projetos elétricos muitas vezes devem escolher entre eles. Os acoplamentos de compressão são mais caros, mas prendem o conduíte em todo o seu diâmetro, e não em um único ponto, como os parafusos de fixação. Porém, as conexões roscadas têm menor custo e são mais fáceis de instalar, adaptando-se a mais locais porque são ajustadas com uma chave de fenda – os acoplamentos de compressão precisam de uma chave inglesa e podem ser difíceis de instalar quando o espaço é reduzido. Tenha em mente que os acoplamentos devem ser classificados para o tipo de conduíte; por exemplo, os acoplamentos EMT são apenas para conduíte EMT, mesmo que outros tipos de conduíte se encaixem.

FMC e LFMC usam um tipo especial de acoplamento aparafusado, semelhante à porção central de uma conexão de compressão, mas sem as contraporcas. Observe que também existem acoplamentos combinados, onde cada extremidade é destinada a um tipo diferente de pista. Por exemplo, você pode encontrar acoplamentos que unem RMC e LFMC.

Conduíte superdimensionado pode tornar sua instalação muito mais cara do que o necessário. Tenha em mente que o diâmetro do conduíte determina o tamanho dos acessórios, então você também acaba com acessórios superdimensionados.

Conectores: Unindo Conduítes com Caixas Elétricas

conector de parafuso de fixação.jpg

Os conectores são usados ​​para unir conduítes metálicos com caixas de passagem, caixas de junção e outros gabinetes elétricos. As caixas metálicas normalmente vêm com furos, que são projetados para inserir conectores. O conector é conectado à caixa elétrica com uma rosca e contraporca, enquanto o conduíte é conectado com métodos semelhantes aos usados ​​para conectores:

  • Para os tipos de conduíte EMT, IMC e RMC, existem conectores de parafuso de fixação e de compressão.
  • Os tipos de conduíte FMC e LFMC usam um tipo especial de conector rosqueado que possui uma contraporca de compressão.
  • Os conectores multiuso utilizam um par de parafusos para ajustar a empunhadura metálica, podendo ser utilizados com conduítes flexíveis de diâmetros menores, bem como cabos blindados e revestidos.

Se você precisar alterar a posição de um conector em uma caixa elétrica e já tiver aberto um orifício de extração, existem vedações disponíveis. Assim como no caso dos acoplamentos, os conectores de compressão oferecem um custo mais elevado, mas oferecem uma conexão mais rígida, enquanto os conectores parafuso de fixação possuem uma custo mais baixo e são mais fáceis de instalar em espaços reduzidos.

Correias e braçadeiras de suporte: fixando o conduíte a superfícies fixas

Correias são usadas para fixar o conduíte às superfícies. Possuem corpo em forma de U que permite prendê-los ao redor do conduíte e possuem uma ou duas extensões com furos para parafusos. Como o conduíte vem em uma ampla variedade de diâmetros, normalmente variando de ½” a 6”, as tiras também estão disponíveis nos tamanhos correspondentes.

Os grampos de suporte atingem uma finalidade semelhante, fixando o conduíte às superfícies, mas o design é diferente. Um suporte em forma de C é conectado a uma superfície com parafusos e os grampos são então inseridos no suporte, mantidos no lugar por pernas em forma de gancho. Cada braçadeira é feita de duas metades idênticas que são unidas com um parafuso na sua intersecção, mantendo o conduíte no lugar.

Ao lidar com um único trecho de conduíte, as cintas são a solução mais prática. No entanto, os grampos de suporte são muito úteis quando há percursos de conduíte paralelos, uma vez que o mesmo segmento de suporte pode conter vários grampos.

Cotovelos: Mudança de direção do conduíte

Cotovelos são segmentos curtos de conduíte fabricados com um ângulo de giro especificado, normalmente 90° ou 45°. Sendo eles próprios conduítes, eles normalmente são conectados a conduítes retos por meio de acoplamentos – roscados, de parafuso de fixação ou de compressão. Basta ter em mente que os cotovelos roscados requerem acoplamentos roscados, caso contrário, há escolha entre parafuso de fixação e compressão.

O conduíte metálico pode ser dobrado, portanto, cotovelos podem ser evitados em muitos casos. EMT de diâmetros menores tendem a ser fáceis de dobrar, portanto raramente são necessários cotovelos. A dificuldade de flexão aumenta à medida que o diâmetro do conduíte aumenta, ou se você estiver lidando com os tipos mais rígidos: IMC e RMC. Um dobrador manual geralmente é útil para EMT de pequeno diâmetro.

Corpos de conduíte: caixa de tração combinada e mudança de direção

eletrometálicoconduit-1.jpg

Os corpos dos conduítes estão entre os acessórios elétricos mais versáteis e úteis, pois podem ser abertos para servir como caixa de tração, permitindo ao mesmo tempo uma mudança de direção, se necessário. Existem também caixas de conduítes em forma de T com duas aberturas no mesmo eixo, além de outra abertura em ângulo de 90° caso dois circuitos devam correr em direções diferentes. Os engenheiros elétricos podem especificar corpos de conduíte para eliminar caixas de junção próximas a curvas ou cotovelos dobrados, uma vez que os corpos de conduíte podem desempenhar a função de ambos.

Recomendações Gerais

Os acessórios elétricos oferecem escolha e versatilidade, mas isso também significa que há muito espaço para erros ao lidar com eles. Trabalhar com um profissional qualificado Empresa de engenharia MEP garante que suas instalações elétricas estejam em conformidade com os códigos, ao mesmo tempo que minimiza os requisitos de materiais. Os engenheiros MEP usam software para simular a instalação elétrica layout antes da construção propriamente dita, permitindo uma redução do comprimento total do eletroduto no projeto, o que também reduz a quantidade de acessórios.

Conteúdo Relacionado

Voltar para o blog

Deixe um comentário

Os comentários precisam ser aprovados antes da publicação.