5 maneiras de lidar com interrupções na cadeia de suprimentos

cadeia de mantimentos

Na década de 1990 e no início da década de 2000, e particularmente desde a adesão da China à Organização Mundial do Comércio em 11 de Dezembro de 2001, um número significativo de empresas globalizou o fornecimento e a produção para reduzir custos. Na maioria dos casos, isto significava depender fortemente da China, da Índia e de outros fornecedores estrangeiros. De acordo com a Brookings Institution, esta medida expôs as empresas norte-americanas a um número e variedade crescente de riscos, incluindo agitação geopolítica, conflitos laborais, fenómenos meteorológicos extremos e ataques cibernéticos. Além disso, a recente crise sanitária mundial revelou vulnerabilidades adicionais na cadeia de abastecimento, principalmente as causadas pela dependência de um único país ou fornecedor. Na verdade, a Câmara de Comércio dos EUA observa que muitos fabricantes estão agora a reconhecer que não podem e não devem confiar numa única fonte para cada necessidade crítica.

Mas como lidar com isso?

1. Mantenha a diversidade

Certifique-se de ter vários fornecedores em sua cadeia de suprimentos, local e internacionalmente, tanto primários quanto de backup. Também é importante ter uma lista rigorosa de critérios a seguir ao selecioná-los, incluindo prazos de entrega, preços, uma verificação de qualidade completa e um tour pelas instalações. E, como é melhor selecionar um fornecedor com pontos fortes alinhados com os da sua empresa, sempre que possível, uma boa comunicação é fundamental para entender como selecionar um fornecedor em detrimento de outro. Na minha experiência, o tempo de resposta lento é o maior sinal revelador de que um candidato não se encaixa em um modelo.

2. Comunique-se de forma eficaz com os clientes

A comunicação honesta e aberta com os clientes é fundamental, e a capacidade de atualizá-los proativamente requer uma equipe de suporte forte e experiente. Uma maneira de se manter à frente da curva é solicitar proativamente atualizações aos fornecedores – isso o ajudará a informar os clientes no início do processo se um material terá um prazo de entrega maior do que o esperado. Se necessário, você poderá buscar opções alternativas.

3. Inclua a gestão de riscos no processo

A gestão de riscos pode ser incorporada no processo da cadeia de abastecimento de duas maneiras: um requisito para se envolver em discussões de planejamento que ajudem a minimizar os pedidos de simulação de incêndio e diversificar a cadeia de abastecimento para que você não tenha todos os ovos na mesma cesta. Por exemplo, na indústria de produtos naturais, é melhor ter dois fornecedores que sejam bons em proteínas e outros dois que sejam bons em cápsulas moles. Por quê? Ambos são itens que podem ser difíceis de obter de forma competitiva.

4. Comprometa-se com bons dados

Treine sua equipe, padronize sua estrutura de dados e permita que sua equipe acrescente informações sobre as soluções que você implementa. No entanto, é necessário fazer cumprir os procedimentos instituídos; a única maneira de alguém saber que foram cometidos erros é enfrentá-los de frente.

5. Construir relacionamentos sólidos com fornecedores e parceiros de fabricação

Bons relacionamentos começam com confiança. Lembre-se que os fornecedores são seus parceiros, por isso é importante levar muito a sério os seus compromissos (por exemplo, pagamentos). Em troca, espere o mesmo nível de comprometimento deles. Acompanhamentos consistentes, mas respeitosos (incluindo horários agendados para conversar) ajudam a promover essa dinâmica – dessa forma, os fornecedores sempre saberão quando precisam se comunicar com você.

Conteúdo Relacionado

Voltar para o blog

Deixe um comentário

Os comentários precisam ser aprovados antes da publicação.